Endereço

Rua da Consolação, 374,

6º andar Consolação
São Paulo - SP Cep.:01302-000
CNPJ.: 65.718.751/0001-93
Código da Entidade Sindical: 000.000.900056-7

Tel:  (11) 3255-6151/3122-6151

Email: contato@sinbfir.org.br

Nos contate

O SINBFIR é o único representante legítimo
das Entidades, Beneficentes, Filantrópicas
e Religiosas do Estado de São Paulo. Caso 
Receba cobrança de outros Sindicatos. Por
Favor, avise-nos! Para que assim, possamos
tomar as devidas providências.

Cuidado com cobranças indevidas!

Please reload

Outros Textos

NOTA DE REPÚDIO DO SINBFIR AO DECRETO MUNICIPAL N° 58.636/2019

"NOTA DE REPÚDIO DO SINBFIR AO DECRETO MUNICIPAL N° 58.636/2019 

 

 

A cidade de São Paulo foi surpreendida pelo Decreto Municipal n° 58.636/2019, do Prefeito Bruno Covas, por meio do qual foram cortadas verbas da assistência social, ou seja, da data da publicação do decreto em diante, os convênios passarão a receber verba inferior ao que já recebem. Se não bastasse, a Secretaria da Fazenda editou a Portaria n° 63, na data de ontem (28/02/2019), para que seja montado um GT a fim de propor às entidades conveniadas, critérios e metas para renegociação de convênios e contratos, mencionando ainda a prestação de contas.

Neste momento, o SINBFIR apresenta seu TOTAL E AMPLO REPÚDIO ao Decreto n° 58.636/2019, bem como à Portaria.n°63 da Secretaria da Fazenda, publicada em 28/02/2019, tendo-se em vista que é sabido por todos a situação crítica em que se encontra a assistência social na cidade de São Paulo e ainda mais nas entidades sociais que as promovem, sendo o próprio governo municipal que causou tal situação uma vez que, por anos vem deixando de cumprir sua obrigação mínima, qual seja, reajustar monetariamente os pagamentos dos convênios e contratos firmados com a Prefeitura de São Paulo. 

Ao mesmo tempo, a Prefeitura destina verba adicional de mais de 58 milhões de reais para outras secretarias a fim de atender outras áreas como transporte etc. Com isto, a Prefeitura mostra à cidade de São Paulo, que assistência social e saúde, secretarias que tiveram cortes de verba, não são áreas importantes e pretende sacrificar ainda mais as entidades beneficentes, filantrópicas e religiosas, quando impõe que não poderá haver queda na qualidade dos serviços. 

Tal postura da Prefeitura de São Paulo demonstra a total falta de conhecimento da realidade que assola nossa cidade e pior ainda, coloca em segundo plano o ser humano mais vulnerável que são os usuários dos serviços, lembrando-se ainda dos trabalhadores que também serão afetados.

Por tudo isto e pela integridade das entidades beneficentes, filantrópicas e religiosas que prestam serviços de assistência social é o manifesto aqui apresentado."

 

SINBFIR

Please reload